Renato Joaquim Emilio

Conhecido no meio como Renatão, ingressou no Arqueirismo abandonando uma carreira promissora no Tiro Esportivo em 1960, pelas mãos de seu amigo Mazinho. Seis meses após seu ingresso ganhou a primeira competição a nível estadual, motivando-o a encarar mais seriamente o esporte e a aprimorar seus conhecimentos sobre o mesmo.

Sua trajetória foi realmente incrível. Em 1970 ganhou o primeiro torneio internacional, realizado entre Brasil, Argentina e Uruguai. Já estando a frente, como diretor técnico, da equipe do Clube de Regatas Vasco da Gama, se dedicou de corpo e alma a desenvolver uma metodologia que aliasse o lúdico à aprendizagem de um esporte repetitivo e de precisão.

Nos anos 80, a frente da Direção técnica do esporte a nível nacional, colocou o Brasil no cenário internacional conquistando com sua equipe vários títulos internacionais.

Teve a oportunidade de treinar atletas de ponta como Jorge de Azevedo, atleta Olímpico e pan americano, Renato e Martha Emilio, atletas olímpicos e panamericanos respectivamente, Claudia Vazques, atleta pan americana, assim como seu neto Fábio Emilio, atleta que se prepara para as seletivas dos Jogos Olímpicos de 2016, entre outros.

Renato D.M. Emilio

Filho do Renatão, Renatinho como é conhecido, aos 7 anos, mais precisamente em 1962, ingressou no esporte que em pouco tempo se tornou uma paixão. Na época enfrentou muita dificuldade com material pelo fato de ser canhoto, o que o forjou na persistência.

Em 1972 quando o esporte retornou aos quadros olímpicos, junto com seu pai tomaram uma decisão que mudaria toda sua vida: Treinar para se tornar um atleta olímpico. Muitos acham que esse trabalho foi voltado para as Olimpíadas de 1980 mas na verdade elas tinham sido tomadas 8 anos antes. Apesar de ter conseguido índice para sua classificação para Berlim, por questões burocráticas sua convocação foi negada.

Na realidade, essa pedra no caminho o impulsionou a treinar mais 4 anos até que conseguiu, finalmente, sua classificação para Moscou, indo também às edições de Los Angeles, Seoul e Barcelona.

Como técnico se Formou pela NAA National Archery Association, foi técnico da Equipe Olímpica Permanente de 1999 a 2000, época em que foram batidos seus recordes brasileiros alguns já com 15 anos.

Implantou o Tiro com Arco Paraolímpico no Brasil, tendo sido personal de atletas de ponta como Fátima Rocha, (Atleta Panamericana) Patrícia Layolle (para atleta 19 ª no Ranking mundial) e Fábio Emilio, entre outros.

Fábio Emilio

Fábio Emilio, igualmente a seu pai, iniciou sua caminhada prematuramente aos 7 anos de idade. Aos 15 anos foi o atleta mais novo a ingressar na equipe olímpica.

Fábio vem treinando de forma frenética para alcançar seu objetivo. Ele possui vários títulos internacionais, dentre eles Campeão Brasileiro, Campeão Sul-Americano, Medalhista Pan-Americano de Tiro com Arco e hoje se divide em treinar e repassar seus conhecimentos para a nova geração.

Técnico formado na primeira turma do curso de instrutores da Confederação Brasileira em 2002, ministrado por seu pai Renato Emílio. Desde então participou de várias competições nacionais e internacionais, dentre elas de 4 Campeonatos Mundiais, 2 Jogos Pan-Americanos, 2 Jogos Sul-Americanos e alguns Campeonatos Brasileiros.

Fabio também é Atleta Militar, Treinador do Para Desposto Militar, Treinador do Projeto Segundo Tempo e Membro Fundador e Treinador da Escola de Arqueiros Renato Emílio.

Fez algumas participações em televisão levando o Tiro com Arco para públicos que desconheciam o esporte, participou de programas e também foi comentarista de tiro com arco da Rede Record nos Jogos Olímpicos de Londres e professor de judô aos 15 anos.